segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Exercício durante o trabalho burocrático


Solange, recepcionista onde trabalho, gentilmente posou para esse sketch durante o expediente.

Sketchcrawl

Minha primeira participação no Sketchcrawl- Rio. Foi sábado nos jardins do Palácio do Catete. Gostei muito da turma, pequena porém cheia de talentos e muito simpática. Bloqueada como estou, custei a conseguir desenhar mas no final saiu esse desenho. A troca de "impressões gráficas" é muito saudável mesmo.

The Thrill Is Gone

Não sei se é o calor alucinante que faz no Rio; não sei se é o não comer chocolate ultimamente; não sei se é uma alimentação deficitária, por preguiça de cozinhar; não sei se é a idade;não sei se é saudade demais; não sei se é Saturno na minha Lua na casa da Casa; não sei , não sei.... mas sei que, the thrill is really gone!

sábado, fevereiro 07, 2009

Necessário, somente o necessário

Essa é a música que o urso Balú canta no desenho "Mogli", versão Walt Disney. Balú é um sábio, guia de Mogli e a música dele me cativou (o desenho nem tanto!). Pois é..., acordei há vários dias atrás, com a canção na cabeça. Meu "background" de fascinada por desenhos animados, histórias em quadrinhos e mãe que fomentou isso na cabeça dos filhos, funcionou desse jeito quando me dei conta de um problema prático que preciso resolver. Mudei de uma casa grande para uma que tem a metade do espaço da outra. Tudo bem, fui eu quem quis, eu que corri atrás disso, ninguém me pressionou a coisa alguma, mas.... nem tudo são flores! Não consigo acomodar os meus objetos nessa nova moradia. Já abri mão de algumas coisas mas ainda assim parece que estou vivendo em um depósito entulhado! Meu inconsciente me lembrou do ensinamento de Balú: "Necessário, somente o necessário, o extraordinário é demais! Necessário, somente o necessário. Por isso é que essa vida eu vivo em paz!"
Aplicar isso a minha realidade é que são elas!!!! Já li zilhões de vezes e em diversas fontes sobre o desapego mas praticá-lo requer muita sabedoria. Como saber que estarei fazendo a coisa certa me desfazendo de um armário grande, lindo, de madeira mesmo, mas que está demais na casa atual, e trocá-lo por prateleiras de mdf para acomodar os livros? E o valor sentimental que esse armário tem para mim, além de ser lindo? Isso também conta, né?
Mas efetivamente a casa do jeito que está, não me agrada nem um pouco. Pior, não estou me sentindo "em casa". Esse impasse me paralisou e ando arrastando tomar decisões sobre medidas práticas que preciso para ir aos poucos melhorando o ambiente, tais como: trocar luminárias, comprar suporte para cortinas, pendurar varal de roupas.... Ridículo,não é?? Uma falta de energia de dar inveja a uma lesma!