sexta-feira, abril 25, 2008

Saleiro vazio e Rosa Montero

"Na vida existem conhecimentos que a gente busca e conhecimentos que a gente encontra. Os conhecimentos que a gente busca costumam ser técnicos ou eruditos. Normalmente são adquiridos passo a passo, com uma presunção prévia daquilo que virá. Claro que também pode tratar-se de assuntos emocionais e íntimos (....) Os conhecimentos buscados costumam ser um desenvolvimento da vida de cada um. Acrescentam, não subtraem, trazem memórias e vivências. Acumulam.

Os conhecimentos que a gente encontra, ao contrário, costumam amputar uma parte de você. Para começar, roubam a inocência. Você estava tranqüilo, feliz ignorante de sua ignorância, quando, zás, uma novidade o surpreende, uma maldita sabedoria a que você não aspirava. Em geral, uma revelação é isso: uma labareda de insuportável claridade, um raio de realidade que lhe cai em cima. Uma luz impiedosa sob a qual você descobre que as coisas que antes via como paisagens não passam de panos de fundo, e que viveu num teatro achando que aquilo era vida, de modo que precisará rearrumar seu passado, reescrever sua memória e perdoar a si mesmo por tanta estupidez e tão feroz cegueira. Para o bem ou para o mal, nada continua sendo a mesma coisa depois de uma revelação dessas."

segunda-feira, abril 07, 2008

Sinais



Continuando a minha senda de indecisão,pedi interiormente, a Deus, por um sinal de que estou a fazer a coisa certa ou não. Umas poucas horas depois, li a crônica de Martha Medeiros na revista de O Globo de ontem. Chocante!!!! Lá estava a minha questão completamente descrita e respondida.
Ao texto Martha deu o título de "Os olhos da cara". Diz ela:" minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda(18 anos no meu caso), para um bem menorzinho. Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras(põe tranqueira nisso!), que havia guardado e, (agora vem a resposta), mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu."
É fantasia minha???

sábado, abril 05, 2008

Je ne sais pas choisir


Esse desenho veio por inspiração de minha amiga Laís que é muito criativa, pena que ela mesma não se dê crédito. Falávamos sobre minha dificuldade em tomar uma decisão séria e de minhas tentativas com os oráculos, Tarot e I Ching. Laís tem um livro do I Ching com uma linguagem mais ocidental, mais compreensiva para nós, diferentemente da chinesa que é cheia de metáforas e floreios que nos deixam, muitas vezes, à mercê da saúde de um dragão chinês. Como ela disse " o dragão espirrou tres vezes, desgraça à vista!"
Então imaginei um pobre dragão com alergia ao ambiente sulfuroso de sua caverna, espirrando terrìvelmente e tendo que dar conselhos quando ele próprio não sabe o que fazer com a sua vida.