segunda-feira, maio 28, 2007

Memories

Marina Calomel

Discurso


E aqui estou, cantando.

Um poeta é sempre irmão do vento e da água:
deixa seu ritmo por onde passa.

Venho de longe e vou para longe:
mas procurei pelo chão os sinais do meu caminho
e não vi nada, porque as ervas cresceram e as serpentes andaram.

Também procurei no céu a indicação de uma trajetória,
mas houve sempre muitas nuvens.
E suicidaram-se os operários de Babel.

Pois aqui estou, cantando.

Se eu nem sei onde estou,
como posso esperar que algum ouvido me escute?

Ah! se eu nem sei quem sou,
como posso esperar que venha alguém gostar de mim?

Cecília Meireles

domingo, maio 27, 2007



Começou a nascer uma flor, pela primeira vez! Mas ela murchou...Fiquei muito decepcionada.
Alguém sabe me dizer porquê? Qual o nome dessa folhagem? A flor seria como a do antúrio só que verde claríssimo, quase branco.

quarta-feira, maio 23, 2007

sábado, maio 19, 2007

A animação abaixo é de um filme que só estreiará em dezembro, nos USA, e já está causando frisson. Mas é tudo por causa da trilogia de Phillip Pullman - His Dark Materials - quem já leu diz que são maravilhosos. Eu lerei em breve, ah sim se vou!
Meu Daemon, é o leopardo da neve, Lutheus. Você tem que responder um questionário para descobrir o seu. Gostei do meu resultado.Façam, é uma brincadeirinha!

quinta-feira, maio 10, 2007


IF- Neighbor/Vizinho

"Um Objeto Não Identificado Das Letras Brasileiras"


Clarice Lispector

"... eu só escrevo quando eu quero, eu sou uma amadora e faço questão de continuar a ser amadora. Profissional é aquele que tem uma obrigação consigo mesmo de escrever, ou então em relação ao outro. Agora, eu faço questão de não ser profissional, para manter minha liberdade."

Clarice Lispector no Museu da Língua Portuguesa

lispector.jpg O Museu da Língua Portuguesa abriu suas portas para a exposição"Clarice Lispector- a hora da estrela" no dia 24 de abril.

A exposição marca 30 anos do lançamento do livro “A hora da Estrela” e da morte da escritora. Todo o material exposto faz parte do Acervo Clarice Lispector, sob a guarda do Arquivo-Museu da Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa.

Em um dos ambientes estão duas mil gavetas, onde 65 delas guardam documentos originais e inéditos de Clarice. Nesta sala o público tem acesso a detalhes da vida de Lispector, como passaportes, a Carteira do Sindicato de Jornalista, as cartas que Clarice enviou ao presidente Getúlio Vargas pedindo naturalização e até um bilhete que Paulo Gurgel Valente, filho da escritora escreveu à mãe em 1961.

Museu da Língua Portuguesa // Praça da Luz, s/nº // Estação Luz do Metrô

domingo, maio 06, 2007

quarta-feira, maio 02, 2007




Dizer não é dizer sim
Dar um não ao que é ruim
É mostrar o meu limite, é mostrar o meu limite

Pra não ter complicação
E completar a ligação
Basta sinceridade
Basta disposição- Kid Abelha


Ligo sempre o rádio ao acordar e hoje essa foi a música que ouvi. Nada é por acaso!
Muito bem explicado o que eu quero dizer, é o texto de Diana Dasha em Tolerar- http://temoutrascoisas.blogspot.com